quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Ludoterapia - Polícia, Ambulância e Bombeiros



Olá a todos,

Hoje o tema são os carros de urgência - Polícia, Ambulância e Bombeiros - que fazem parte da mala lúdica. Normalmente, fazem-se acompanhar de carros regulares (um familiar e outro desportivo, de preferência) mas optei por falar apenas destes, por enquanto.

Os carros, da minha experiência, são, com maior frequência, utilizados pelos rapazes. 
A fertilidade da imaginação das crianças é vasta e estes brinquedos podem tornar-se agentes de uma grande variedade de acções.

Na minha prática clínica, o que mais tenho observado é uma interacção tendencialmente agressiva para com os veículos, no geral. Frequentemente vejo-os a serem pilotos de corridas, vítimas de quedas em ravinas (da mesa para baixo) ou alvos em guerras entre o bem o e mal.

Enquanto terapeuta, tento dar uma nova perspectiva sobre o que lhes irá acontecer, como por exemplo, "alguém" deixar de poder ser cuidado porque os carros já não estão a funcionar...

Também tenho assistido a estes carros serem associados a "maus"... Das várias vezes que isto surgiu, foram em crianças que pareciam estar em conflito com a terapeuta, tendo eu associado ao facto de estes veículos terem uma conotação de agentes de poder ou de "terapeutas" e projectarem neles este conflito interno.

De uma forma geral, em termos teóricos, estes brinquedos têm como significado o seguinte:

Bombeiros: Amigo, que apaga o fogo emotivo, apaziguador.

Ambulância: Cuidador

Polícia: Superego/Limites e regras.

É importante nunca esquecer que estes significados são genéricos mas que devem ser sempre contextualizados no momento lúdico. Há vários factores que vão interferir na interpretação, sendo por isso muito importante a observação clínica, estar tento à história de vida da criança, a atitude em sessão, o que é verbalizado e a forma como concluem a brincadeira.

Espero que possam contribuir para este post com a vossa opinião.

Energias positivas para todos!!!
Nathalie Marques

Sem comentários:

Enviar um comentário