quinta-feira, 28 de maio de 2015

Dia Mundial do Brincar - O faz de conta que constrói a realidade!

28 de Maio - Dia Internacional do Brincar

Não podia deixar passar um dia que representa algo tão importante na vida psicológica.
Nesse sentido, quero deixar alguns excertos do livro "Bons Pais", da autoria de Bruno Bettelheim, que dedica todo um capítulo à importância do Brincar.

"Freud disse que o sonho é a "estrada real" que leva ao inconsciente, e isto é verdade para os adultos e para as crianças.Mas o acto de brincar é a "estrada real" para o mundo interior consciente e inconsciente da criança; se queremos compreender o seu mundo interior e ajudá-las nele temos de aprender a percorrer essa estrada.
Pela maneira de brincar de uma criança podemos compreender como ela vê e constrói o mundo - o que ela gostaria que ele fosse, quais são as suas preocupações e quais os problemas que a afligem. Através das suas brincadeiras, a criança exprime o que lhe seria muito difícil exprimir por palavras. (...) Mesmo quando a criança começa uma brincadeira parcialemte para passar o tempo, aquilo que escolhe para brincar é motivado por processos interiores, desejos, problemas, ansiedades." 

(Bettelheim, 2003 -  Bons Pais - O sucesso na educação dos filhos; Capítulo O desenvolvimento da personalidade: XVI Brincar: uma ponte para a Realidade)


Aproveito esta oportunidade para falar na escolha de brinquedos, na hora de comprar as figuras humanas. Como caucasiana que sou, a questão da "cor de pele" nunca foi exactamente uma questão. O negócio dos brinquedos está, claramente, virado para o público caucasiano.

No meu estágio, decidi construir a minha mala lúdica. Primeiro porque estava com toda a garra para meter as mãos na massa e, depois, porque o centro de saúde onde eu estava pouco ou nada tinha na sala para poder fazer uma intervenção terapêutica. Tive o privilégio de ter uma tarde inteira só para mim, o que me permitia fazer um acompanhamento semanal aos meus pacientes.

A minha primeira paciente era negra. Quando me deparei com a compra do bebé, questionei-me se devia comprar um bebé negro ou branco... Decidi optar pelo "branco"... de uma forma prática pensei "as crianças negras estão habituadas aos nenucos de beleza vulgar, brancos de olhos azuis. E assim foi...
Entretanto, alguns anos mais tarde, e já com a minha mala de ludo completa, decici comprar um bebé negro (fotografia do lado direiro) porque tinha uma nova paciente negra... desta vez quis fazer a experiência.
A minha primeira aprendizagem foi sobre a falta de oferta de bebés negros... encontrei uma variedade infindável de bebés standart. Se fosse no Natal, talvez tivesse sido diferente mas, em Março... foi muito difícil de encontrar, tendo acabado por comprar na loja ALE-HOP.
 Ambos os bebés seguem na mesma mala e a menina, por vontade própria, decide brincar aos cuidados maternos. Ela distribuiu um para cada uma... o branco para ela e o negro para mim. Entretando, na mesma altura, encontrei na loja TIGER uma familia negra que, sem hesitar, comprei. Fiquei curiosa sonbre o impacto que isto teria... pois bem... duante um momento lúdica, a família de "brancos" eram os ricos e os a "família de negros" os pobres...

Deixo aqui esta experiência porque fiquei a pensar no impacto da sociedade e da indústria infantil na construção da identidade das crianças das minorias étnicas. De facto, há experiênias (abaixo) que revelam as preferências das crianças, havendo uma desvalorização do que é mais incomum e pior conotado, mesmo quando se trata do seu próprio fenótipo.Brincar é também ser confrontado e aprender sobre estas questões. Eu própria, na minha infância, num grupo de meninas que não eram as minha "melhores amigas" deparei-me com isto quando, por eu ser o elemento menos importante, me deram uma Barbie negra para brincar... Lembro-me de pensar que "só me deram aquela boneca porque é aquela que não querem" e foi a primeira vez que, realmente, me questionei sobre as raças... desde aí... ao longo de muito tempo, apercebi-me da importância de dar uma oportunidade ao que me era "diferente".



Energia e reflexão para todos!!

Sem comentários:

Enviar um comentário