sábado, 26 de julho de 2014

Tecidos - O que significam em Psicologia?

Falar de Tecidos em Psicologia não é um tema comum, e não se encontra grandes reflexões sobre o isto. Portanto, mais uma vez, vou arriscar dizer o que sinto e o que interpreto.

Eles podem trazer diferentes sensações, quer visual, pelo tacto ou pelo significado que lhes têm atribuído. A seda é suave e "elegante", o algodão é confortável e "humilde", a ganga é robusta e "comum", a lycra é "fria" mas flexível e despachada, bem usada é "adequada" mas sem ponderação é só "desmazelada", o pêlo é "quente e envolvente", a serapilheira é desconfortável e "rude" ... Enfim, uma série de sensações que podem desencadear num leque de reacções. 
Quando um tecido é macio, automaticamente me leva a pensar que é confortável, calmante, apaziguador, infantilizante, íntimo, e materno. É como se relaxasse os ânimos e se assemelhasse a um abraço.

Em conformidade com o que digo, temos a interpretação do objecto de transição (o objecto de tecido, muitas vezes fraldas de pano, que as crianças se fazem acompanhar) que servem de prolongamento de um estado de desenvolvimento precoce, da mãe, do conforto que esta lhe proporciona e é, também, uma forma de segurança e calma. Tem a função de apaziguamento interno, traduzindo-se num estado emocional mais estável.

O que me levou a reflectir sobre este assunto foi uma sessão na qual levei uma folha de cortiça e outras de feltro, para fazer a "porta do comportamento" (em breve, quando oportuno, farei um post sobre esta dinâmica). Durante esta actividade, percebi que o menino, que se apresenta frequentemente agitado e ansioso, mostou-se calmo e muito empenhado na tarefa. Este pensamento consolidou-se quando me pediu nas duas sessões seguintes a mesma actividade. Com outro menino, com quem a comunicação verbal existem muito escassamente, percebi que era também um bom veículo de inter-relação, permitindo um forte impacto através do tacto, colmatando a lacuna da comunicação verbal.

 Folhas de Feltro

Portas do Comportamento

Deixo assim mais um pensamento, fruto da experiência no trabalho com as minhas crianças. Obrigada a todas pelos ensinamentos ;)

Nathalie Marques 

Sem comentários:

Enviar um comentário