quinta-feira, 13 de maio de 2010

Viktor Frankl - o vazio existencial e a neurose existencial



"Viktor Frankl, o vazio existencial e a neurose existencial.

O vazio existencial, que também chamou de frustração existencial, caracteriza-se por um estado de aborrecimento, apatia e inutilidade no qual o indivíduo carece de direcção e questiona a utilidade de todas as actividades da sua vida. Por vezes, queixa-se de vazio, uma forma de descontentamento vago quando termina as actividades da semana, dando-se conta de que não há nada que deseje fazer.

A neurose existencial, corresponderia a uma fase mais avançada, na qual para além dos sentimentos explícitos de falta de sentido para a vida, o indivíduo desenvolve outros sintomas neuróticos. Esta neurose existencial (ou noogénica), essencialmente formada por sintomas que preenchem o vazio existencial, poderia assumir qualquer modalidade da psicopatologia neurótica."

Excerto Retirado de: Teixeira, J. (1997). Introdução às abordagens fenomenológica e existencial em psicoterapia (II): as Abordagens existenciais. Análise psicológica. 2(15): 195-205

2 comentários:

  1. Sinto os ares em neves
    flocos gélidos a derreter
    sobre meu ventre

    Aconchego-me um pouco mais
    mas é tarde e a tarde cai..

    Entro na noite sem emergir-me do dia
    placidamente vivo o seu fulgor

    É que tem dias que não são dias
    apenas noites vazias.
    marcia campos BH

    ResponderEliminar
  2. Qual o nome do livro que fala sobre o vazio existencial do dr. Viktor Frank?

    ResponderEliminar